SESCOOP no Estado de São Paulo
Serviço Nacional de Aprendizagem
do Cooperativismo

 
 
           Login:      Senha:    
 
  
   
 
 

Institucional
Serviços
Programas e Projetos
Cursos e Eventos
Canais de Comunicação
 
  

Presença do Sicredi em São Paulo aumenta 235% em seis anos
26/11/2020

Diferente dos bancos, instituição financeira cooperativa segue investindo na ampliação da rede física, em contratações de pessoal e, também, na inovação dos canais digitais

Com mais de 257 agências no estado de São Paulo, o Sicredi tem intensificado sua estratégia de expansão da rede de atendimento. Em 2014, eram 76 agências no estado - um crescimento de 235% em seis anos. O plano de investimentos segue mesmo durante a pandemia do novo coronavírus. Nos últimos dois meses, a instituição financeira cooperativa inaugurou unidades de atendimento em diversas regiões do estado, como Osasco, na Região Metropolitana da capital, e a terceira agência em Santos, no litoral Sul do estado, além de Ilha Solteira, Tremembé, Porto Ferreira, Ibiúna, São Roque e Césario Lange.

A rede de atendimento do Sicredi no estado de São Paulo já conta agências em todos os municípios de médio e grande porte do estado. Apenas na capital, são 25 agências levando aos associados os diferenciais da primeira instituição financeira cooperativa do País. Agora, as cooperativas Sicredi presentes no Estado começam a aumentar a rede de atendimento também em municípios menores, ampliando a presença da instituição financeira cooperativa e gerando empregos.

Nacionalmente, com a recente inauguração de uma unidade de atendimento em Manaus (AM), o Sicredi passou a estar presente em 23 estados e no Distrito Federal. Em todo o país, são 1.954 agências, dados de setembro. O número representa uma alta de 16%, em comparação a dezembro de 2018, quando a instituição registrava 1.684 agências. Somente em 2020, o Sicredi já inaugurou 113 novas agências em todo o Brasil e até o fim do ano, planeja abrir mais 36. O movimento segue na contramão dos bancos tradicionais. De acordo com o Banco Central, 1.895 agências bancárias fecharam em todo o país entre setembro de 2018 e o mesmo período de 2020.

“A ampliação da rede física, aliada ao desenvolvimento de tecnologias e inovação nos canais de atendimento, está alinhada ao nosso propósito de gerar mais prosperidade. Internamente, temos um mote que representa bem este posicionamento: digital como é preciso ser, humano como só a gente é. Ter um relacionamento próximo às pessoas, ao comércio e ao produtor rural são alguns de nossos pilares, ao lado da gestão democrática e o incentivo ao comércio local. Nossos investimentos atendem às demandas dos associados e contribui para o desenvolvimento regional”, afirma o presidente nacional do Sicredi e da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrock.

O impacto positivo do cooperativismo no desenvolvimento das áreas de atuação foi registrado em pesquisa divulgada em 2020 pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). De acordo com o estudo, o cooperativismo incrementa o Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos municípios onde atua em 5,6%, cria 6,2% mais vagas de trabalho formal e aumenta o número de estabelecimentos comerciais em 15,7%.

A presença do cooperativismo de crédito e de seus diferenciais também é significativa em escala global. De acordo com o Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (WOCCU), em todo o mundo, já são mais de 85 mil cooperativas de crédito que reúnem 291 milhões de associados de 118 países. No Brasil, a atuação das cooperativas de crédito ficou mais abrangente na última década, com a Lei Complementar 130/2009, que regulamentou a Livre Admissão nas instituições financeiras cooperativas - possibilitando que qualquer pessoa pudesse abrir uma conta corrente numa cooperativa de crédito. “Nosso movimento iniciou no interior e em determinados segmentos da sociedade, mas agora começa a conquistar também os grandes centros urbanos, possibilitando que mais pessoas tenham acesso ao cooperativismo, modelo que promove o desenvolvimento por meio do ciclo virtuoso e da ajuda mútua. E a resposta da sociedade tem sido muito positiva, o que estimula mais inaugurações”, comenta Dasenbrock.

Crescimento na capital

Além da presença crescente nos pequenos municípios, o Sicredi também tem investido nos grandes centros urbanos. Na capital paulista, a instituição passou de 13 agências em 2018, para 25 unidades de atendimento em 2020 - um salto de mais de 90% em dois anos. “Nossas novas agências seguem um padrão completamente diferente, valorizando espaços de convivência entre os associados, que podem tomar um café ou até mesmo utilizar uma sala de reunião, no melhor estilo dos coworkings. Em toda a nossa área de atuação, investimos em agências que reflitam nosso espírito de colaboração”, reforça o presidente.

Para Dasenbrock, a instituição cresce aliando os princípios do cooperativismo sem esquecer da inovação, das novas demandas de mercado e da renovação do quadro social das cooperativas. Um exemplo é o app do Sicredi, um dos mais bem avaliados nas lojas de aplicativo, e o PIX, lançado recentemente. “Além de oferecer mais opções aos nossos associados, buscamos sempre reforçar o que nos torna diferentes e garante a proximidade. Nossas cooperativas atuam diretamente nas comunidades com iniciativas que incluem educação cooperativa e financeira. Além disso, trabalhamos com projetos que visam engajar os jovens, garantindo a sustentabilidade do sistema e a continuidade do desenvolvimento regional por meio do cooperativismo”, finaliza.

Os investimentos em relacionamento e nos diferenciais do cooperativismo vêm trazendo resultados expressivos nos últimos anos. Com 4,8 milhões de associados em todo o Brasil, o Sicredi registrou, em setembro de 2020, R$ 152 bilhões de ativos totais e R$ 19,5 bilhões de patrimônio líquido.

Fonte: Sicredi


  
  
 
 
© Todos os direitos reservados ao SESCOOP/SP. Este material não pode ser publicado,
transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.