SESCOOP no Estado de São Paulo
Serviço Nacional de Aprendizagem
do Cooperativismo

 
 
           Login:      Senha:    
 
  
   
 
 

Institucional
Serviços
Programas e Projetos
Cursos e Eventos
Canais de Comunicação
 
  

50 anos da Ocesp: Autoridades falam sobre o cooperativismo nas políticas públicas
15/10/2020



Na noite de ontem, 14, como parte da programação especial dos 50 anos da Ocesp, foi realizada uma live que abordou o cooperativismo como política pública. O presidente da Ocesp, Edivaldo Del Grande, recebeu no evento virtual o presidente da OCB, Marcio Lopes de Freitas, e os parlamentares cooperativistas Arnaldo Jardim, Barros Munhoz e Major Olimpio.

Del Grande salientou a relevância do cooperativismo para as comunidades. “Está provado que o cooperativismo não melhora apenas a vida dos cooperados, mas também de toda a comunidade onde as cooperativas estão inseridas. É fácil entender: as cooperativas não concentram renda, elas distribuem de maneira mais justa aos seus cooperados, que fazem circular os recursos e aquecem a economia local”, disse o presidente da Ocesp, comentando também sobre a ligação do cooperativismo com a política: “não temos partido, somos ligados a políticos comprometidos em  defender o cooperativismo”.

Lopes de Freitas ressaltou a diferença que faz uma representação parlamentar comprometida. “Para que o cooperativismo possa estar mais inserido nas políticas públicas, precisamos de políticos com alto nível de comprometimento, como os que estão nesta live, em todos as esferas de poder. Isso é um recado para as nossas cooperativas: temos que trabalhar para eleger pessoas comprometidas, para garantir o nosso espaço de discussão. Num estado democrático como o nosso, ou temos representação séria e comprometida ou estamos fora do jogo”.

O presidente da OCB revelou que, mesmo neste ano tumultuado de pandemia, 56% dos pleitos da OCB aos poderes públicos foram atendidos. “Somos capazes de fazer se formos organizados”, disse ele, fazendo questão de ressaltar a força do movimento cooperativista no Brasil: “movimentamos 400 bilhões de reais este ano, somos 15 milhões de cooperados e, se somarmos mais três familiares a cada cooperado, somos 60% da população brasileira. Um movimento socialmente forte, economicamente parrudo, que precisa ser mais reconhecido pelos governos, até para que possamos ajudar os governos”.

Coordenador da Frente Parlamentar do Cooperativismo Paulista (Frencoop/SP), o deputado Barros Munhoz afirma ter renovado a sua motivação com o cooperativismo. “O nosso dirigente político não atenta para a força do cooperativismo. Por outro lado, falta também uma consciência da nossa própria força. E esse é um grande trabalho que me motiva. Vou correr município por município, falar com os prefeitos, para que possamos fortalecer o cooperativismo. Essa é a colaboração que eu quero dar até em agradecimento aos cooperativistas. Vamos construir um cooperativismo forte para o bem do Brasil”, disse Munhoz.

O deputado federal Arnaldo Jardim, diretor da Frencoop Nacional, citou alguns exemplos práticos de políticas públicas que abraçam o cooperativismo. “Na área habitacional, apresentei emendas ao Minha Casa Minha Vida para que o programa considerasse também as cooperativas. E, agora, em sua reformulação, fomos contemplados. Fui relator da Política Nacional de Resíduos Sólidos, quando incluí a participação essencial e estratégica das cooperativas de reciclagem. Na lei específica do cooperativismo de trabalho, conseguimos garantir este modelo e o papel importante das cooperativas deste ramo. Da mesma maneira, estamos trabalhando para que as cooperativas do agro tenham um tratamento diferenciado na lei de recuperação judicial”, disse Jardim, complementando: “então, você faz escolhas, e nós escolhemos garantir as peculiaridades do cooperativismo nas políticas públicas. Tenho sugerido aos meus candidatos a prefeito que incluam o cooperativismo nas suas ações”.

O senador Major Olimpio, coordenador institucional da Frencoop Nacional, ao falar sobre inserção do cooperativismo em políticas públicas, disse acreditar na mobilização do setor. “Eu sou um produto da mobilização do cooperativismo. Vocês fizeram com que o maior azarão da eleição pudesse ser o senador mais votado da história. Eu seria injusto se não reconhece essa capilaridade do cooperativismo. E sugiro que façam uma mobilização mais intensa, para buscar o apoio de todos os segmentos políticos, pois o cooperativismo tem força para isso. Vocês devem apresentar a pauta e dizer que não são problemas e, sim, solução; que só não querem ser atrapalhados pela área pública”, sugeriu o senador na live do Sistema Ocesp.

Confira a integra da live: https://www.youtube.com/watch?v=ryoCKF7u0_M&t=3530s
 


  
  
 
 
© Todos os direitos reservados ao SESCOOP/SP. Este material não pode ser publicado,
transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.